terça-feira, 15 de julho de 2008

free will

Quero despedir um dos tipos que trabalha comigo e não sei como o fazer. Vou tentar o "não és tu, sou eu".

11 comentários:

arco-íris negro disse...

espero que nunca me despeçam assim...já basta no campo amoroso.
quem inventou essa merda devia ser fuzilado...

anatcat disse...

costuma ser uma fórmula infalível, caso não resulte, podes sempre contar a verdade e dizer que afinal havia outro :D

Nuninho:| disse...

não és tu... sou eu.... que sou o patrão:|

Anónimo disse...

Experimenta o: Mas não fiques triste, podemos continuar amigos...

Anónimo disse...

o melhor é "vamos dar um tempo, tu podes ir conhecer outras empresas, eu conheço outros empregados... e quem sabe se não é melhor para os dois"

Nórdico disse...

... vamos dar um tempo ... só preciso do meu espaço ...

Anónimo disse...

Ou então diz-lhe que precisas do teu espaço.

O Man

Evil Genius disse...

Diz que ainda não estás preparado para assumir uma nova relação patrão-empregado, que o funcionário anterior te marcou muito e precisas de tempo. O problema não é ele, és tu. Mas que gostavas que pudessem continuar amigos. Depois manda-o ir buscar um capuccino, ou buscar a facturação de 1997/1998 que está no arquivo cheio de pó(a foda de despedida, portanto) e depois passas a ligar só quando estás com os copos, à saída do bar e te apetece que alguém te vá buscar as facturações de anos anteriores ao arquivo.(foda, portanto)

Anónimo disse...

"e depois passas a ligar só quando estás com os copos, à saída do bar e te apetece que alguém te vá buscar as facturações de anos anteriores ao arquivo.(foda, portanto)"

ah, então era isto... makes sense :)
mj

Nuninho:| disse...

e depois passas a ligar só quando estás com os copos, à saída do bar e te apetece que alguém te vá buscar as facturações de anos anteriores ao arquivo.(foda, portanto)

------------------------------------

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

tiagugrilu disse...

Eh lá...!