domingo, 29 de dezembro de 2013

cantaloupe woman

A ler as instruções da máquina de café. Acho que vou esperar que saia o filme.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

sleepy silver door

Moro entre a Polícia Judiciária e a Sociedade Portuguesa de Autores. É uma pena já lá irem quase trinta anos desde que brinquei aos polícias e ladrões.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

walk the dogs

Fiz uma máscara de argila. Não resultou mas tenho um cinzeiro novo.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

atomic man

Cada pessoa devia fazer aquilo em que é melhor. É uma pena não se poder ganhar a vida a rebarbar.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

domingo, 15 de dezembro de 2013

some people are more equal than others

Tive uma namorada que dizia que eu era demasiado infantil. Mas ela devia-se era estar a ver ao espelho.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

relentless practitioners

Rangel convidado por Passos para cabeça-de-lista às europeias. No caso do Paulo Rangel devia ser só "-de-lista".

matangi

O álbum do Pedro Abrunhosa chama-se "Contramão" mas, infelizmente, parece-me que não passa duma promessa.

fim

Se eu fosse careca e ruivo, mandava meter um capachinho vermelho.

sábado, 7 de dezembro de 2013

you can have what you want

Dislexia pode ser fruto de má conectividade entre duas regiões do cérebro. Há teorias do baralho.

sábado, 30 de novembro de 2013

rwake

Só distingo o preto do azul-escuro quando me rouba o telemóvel.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

look outside

Acho que se diz "contrair matrimónio" porque é uma espécie de doença.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

arm around you

O meu computador é tão lento que quando arrancou ainda era um ábaco.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

the gates of ballard

My Visual Studio is like a bad tennis player. It never hits a break point.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

what is this loneliness

Coerência era haver uma banda em Londres chamada "por favor, tenha atenção ao intervalo entre o comboio e a plataforma".

pillars

Cientistas criam material "mais à prova de água do mundo". Os ciganos vieram dizer que já existiam.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

you in color

Abrir um restaurante indiano em Inglaterra para ter um curry cabral.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

love comes close

Martin Luther King's death was kind of a shot in the dark.

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

morning sun

Coerência é a mosca tsé-tsé e o Jeff Goldblum-Jeff Goldblum serem parentes.

shack 54

Um gafanhoto é um louva-a-deus que perdeu a fé.

to be young, gifted and black

Não é com vinagre que se apanha o Jeff Goldblum.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

yellow elevator #2

Devia haver uma banda de adolescentes chamada acne/dcne.

the page

Se o Papa não soubesse espremer bem laranjas, alguém podia lá chegar e dizer "olhe que ainda têm sumo, pontífice".

sunporch

Se no exame de mota temos de fazer o 8 e no teste do balão o 4, se fizermos os dois ao mesmo tempo temos de fazer o 12?

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

we got the system to fight the system

Há coisas que um gajo tem dificuldade em ultrapassar. Veículos longos na nacional, por exemplo.

tv dream

Cada pessoa é única. Exceto o João Gobern que é duas.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

so you want to be (a rock 'n' roll star)

I was about to buy an audio book, but I think I'll wait for the audio movie.

can't say no

No xadrez, se a rainha branca começa na casa branca, a preta devia começar numa cabana.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

never/ever

Aos indianos já só deve faltar violar a 1ª Lei da Termodinâmica.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

you already know

Parte de mim gostava de se tornar vegetariano, a outra parte que farinheira fosse um vegetal.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

bewitched

I've donated some clothes to kids in Vietnam. The circle is now complete.

rise above

Podia também chover detergente da roupa. Assim fazia-se tudo duma vez.

domingo, 20 de outubro de 2013

summer guest

No H3, além dum hamburguer, ainda me afundaram um submarino.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

your drums, your love

Devia haver livros na diagonal para um gajo poder mesmo ler na diagonal.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

dead people

A greve do Metro e os jardins da Babilónia foram suspensos.

domingo, 13 de outubro de 2013

you only live twice

Comprei um creme anti-idade. A cada dia que passa, ele manifesta-se.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

stoned and starving

Both SQL queries and dictators get executed on a common basis.

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

firecracker

O meu carro tem um médio fodido. É como o Benfica do tempo do Calado.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

terça-feira, 1 de outubro de 2013

rip off

I'm so jet lagged, I'm having tomorrow's breakfast yesterday night.

hazemaze

Se o Júlio Verne e o Almeida Garrett se juntassem, escreveriam o épico "Viagens ao centro da minha terra".

domingo, 29 de setembro de 2013

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

chang

Eu e a arte moderna temos um problema. Ou ela não é arte, ou eu não sou moderno.

sábado, 21 de setembro de 2013

terça-feira, 17 de setembro de 2013

shanghai

O taxista que me trouxe do aeroporto ao centro de Shanghai foi flashado tantas vezes que devemos estar a sair na Vogue ou na Marie Claire.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

bkk

A castanha é o aquénio do ouriço, o fruto capsular epinescente do castanheiro que se pode encontrar por toda a Europa, Ásia Menor, Balcãs e debaixo da unha.

shore leave

Shouldn't thai food in Thailand be called just food?

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

a

Há cerca de 27 milhões de escravos no mundo e eu com a roupa por apanhar.

m

A distância mais curta entre dois pontos é uma reta. A mais longa é quando vai uma gaja a conduzir.

skiffle it up

A minha avó dizia que o peixe-espada era chato e comprido. Nunca deve ter ouvido Sigur Rós.

she yells

"Não acreditem em tudo o que lêem na Internet", li eu na Internet.

are you that somebody?

Acho que encontrei a mulher da minha vida. Já só falta ela saber, uma corda e clorofórmio.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

come back jonee

On version control: you can't always git what you want.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

i won’t be your generator

Na bomba de gasolina ao pé de minha casa tem escrito "Seja benvindo" mas eu não conheço nenhum Benvindo para saber como é.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

little man

Havia de haver um tipo chamado Raras Exceções, importante e marinheiro, que um dia naufragasse para logo ser notícia: "Salvo Raras Exceções!".

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

i hear colors (chromaesthesia)

A teoria da Relatividade diz que nada é instantâneo. Na Nescafé discordam.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

berzerk

Se o Boris Vian tivesse epilepsia, a sua biografia podia-se chamar "Os dias da espuma".

domingo, 25 de agosto de 2013

things will change

O Jorge Jesus aprendeu a ler num livro de colorir.

little brother

O caso Bruma é como limpar tosteiras. É complicado e no fim o preto fica.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

touch the sky

O meu médico disse-me que devia voltar a beber leite e eu disse-lhe que não sei onde fica beber leite.

crack music

Alemão assassina dois vizinhos por elevadas despesas de condomínio.
Isto só pode ser a Segunda Guerra Mundial explicada às crianças.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

as long as the sun

O Seara parece que se vai divorciar. Além de andar a sentir Lisboa, deve ter andado a sentir a Coina.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

cold to the touch

CIA confirma a existência da Área 51. Falta confirmar que tem 17 por 3.

stay alive

Perdi-me a ir ao Dolce Vita Tejo. No Google Maps dizia Amadora, mas parece que é no Neolítico Inferior.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

ferragosto hate

35 graus: a 4 graus e duas letras dum filme do Hitchcock.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

crying with bob

I ate a Sunday. Then I went straight from Saturday to Monday.

forget me

A sequela de "A dama do sinal" devia ser "A dama do melanoma".

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

elephant gun

O meu microondas está dez minutos adiantado. Ando a comer comida do futuro.

colossus

A mulher do Descartes quando tinha o período usava tampão ou penso, logo existo?

parking lot

I went to the store to buy Word, but they were out of Office.

evergreen

O Schrödinger faria hoje 126 anos. Já o gato dele podia ou não fazer.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

altibzz

Cunhado de Nietzsche criou colónia no Paraguai para "preservar raça ariana". É o que se chama um nietzsche de mercado.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

dirty paws

Nunca se deve baixar a guarda. Pode-se ir parar a castelo branco.

meet cleofis randolph the patriarch

Pode-se dizer que a Hasbro tem o monopólio do Monopólio.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

rumbero

Há uma aplicação aqui no trabalho que está sempre a dar um erro 501. Espero que sejam umas Levi's.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

maleka

Os Rolling Stones diziam que um gajo nem sempre pode ter o que quer. No caso deles, colagénio.

quarta-feira, 31 de julho de 2013

flash delirium

A minha avó queria comprar umas luvas para a minha namorada. Disse-lhe que bastava uma. Ela não percebeu.

terça-feira, 30 de julho de 2013

riverbed

O Homem de Ferro não pode usar aquela desculpa de que um gajo não é de ferro.

robot stomp

Lá no bar andam sempre a perguntar se tenho sidra, mas eu nem sidra nem canco.

it's alright, it's ok

O mais difícil de fumar uma chinesa é arranjar um cachimbo do tamanho dum alguidar.

within

Escalar uma dourada devia dar cinturão branco em alpinismo.

don't stop the dance

Duas horas ao telefone com o apoio ao cliente da Vodafone. Foi a maior relação que tive nos últimos 3 anos.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

she's not there

O Peter Gabriel esteve nos Genesis, a Lili Caneças no Genesis.

terça-feira, 23 de julho de 2013

the snow leopard

Nunca discutir com um relógio suíço. Ele está quase sempre certo.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

between two mysteries

Há quem meta o nariz em tudo e há o João Garcia.

instrumental-1

Se houvesse uma carrinha chamada singular, as pessoas podiam apontar para o banco de trás e dizer "ali vai a terceira pessoa do singular".

terça-feira, 16 de julho de 2013

don't give that shit to me

Puta que pariu a lactose. Isto sou eu a ser intolerante à lactose.

sábado, 13 de julho de 2013

gmf

Regurgitation is used by a number of species to feed their young. In Japan, it's called porn.

the falling sun

Devia haver um Deshazam que é para quando não queres saber a música que está a dar.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

san angeles

E agora vinha o Rothko e mudava-se para a Coina.

get over you

Estive a ver porno em vez do Cavaco. Assim como assim estava alguém a ser fodido.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

my drugs

Há um bar chamado Ponto G. Claro que não faço ideia onde fica.

7

Há uma gaja aqui no trabalho que chega sempre atrasada. Acho que é porque o guarda-roupa dela está nos anos 80.

terça-feira, 9 de julho de 2013

protovision

A minha vida sexual deve estar no início porque, segundo a Bíblia, no início também não havia nada.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

magna carta holy grail

Fígado humano criado em laboratório. Agora é criar um Zé Pedro dos Xutos em volta.

shout it out

Coerência era o Benfica jogar em Notre-Dame pois esteve em quasimodo.

domingo, 30 de junho de 2013

this guy's in love with you

Se as CSS cancelassem um concerto, o cartaz ficava todo desformatado?

sábado, 29 de junho de 2013

don't play with guns

Protetor solar fora de prazo. Espero não apanhar um escaldão em 2011.

sábado, 22 de junho de 2013

slow wave

Coerência era o selecionador italiano meter o Marchisio na varanda.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

quinta-feira, 20 de junho de 2013

no tv

Comprei uma máquina sem objetiva. É tipo a minha vida mas em feminino.

domingo, 16 de junho de 2013

tollin' bells

A parte boa de ter a roupa a cheirar a sardinhas é o sucesso que se faz com os gatos aqui da rua.

big road blues

Devia haver uma rotunda muito mais pequenina para se festejar os títulos de futsal.

playing the races

O Google+ tem novo interface. Pode-se continuar a não postar nada lá mas em muito mais bonito.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

quarta-feira, 5 de junho de 2013

hindsight

Se eu tivesse um gato paneleiro, chamar-lhe-ia Couto para os outros gatos lhe poderem dizer, enquanto o comiam por trás, "mia, Couto!".

grown up

Se o mundo fosse sempre a descer, podia-se ir de skate para todo o lado.

going home

90% das notas têm vestígios de cocaína. Por outro lado, 90% da cocaína tem vestígios de cocaína.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

swans

Uma gaja disse que não me comia nem que eu fosse o último homem na terra e eu fiquei sem perceber se ela não me comia nem que eu fosse o último homem na terra ou o Charlton Heston.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

a man needs a maid

O Spotify diz que posso seguir a minha avó. Isto só pode querer dizer uma coisa: que há net no Alto de São João.

sábado, 25 de maio de 2013

fireflies

A paraplegic posting via mobile means he's posting via cell phone or via someone else?

quinta-feira, 23 de maio de 2013

monster

Em Oklahoma, mesmo quando se vai para a prisão, passa-se pela casa partida.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

instant crush

Se eu entrasse em "O sexo e a cidade" aposto que mudavam o nome para "A cidade".

sábado, 18 de maio de 2013

sexta-feira, 17 de maio de 2013

my number

Apesar de nunca terem jogado Monopólio, muitos judeus tiveram a companhia do gás.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

venue map

Coerência é seres enrabado enquanto escreves um haiku.

terça-feira, 14 de maio de 2013

dom

Não se deve julgar um livro pela capa, mas quanto aos super-heróis a doutrina divide-se.

save the children

Acho que me cruzei com o Nilton. Só não tenho a certeza que era ele porque não estava a copiar ninguém.

domingo, 12 de maio de 2013

let love stand a chance

Devia arranjar uma namorada paraplégica porque por muito mau que fosse o sexo, ela ficava sempre sem conseguir andar.

sábado, 11 de maio de 2013

madness

Perder o "The lady vanishes" enquanto se joga Street Fighter é quase como perder a "Desaparecida" em combate.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

buggin' out

A pessoa que pode ter estado mais perto do fundo do oceano é a Marina Mota com um strap-on.

until she comes

The moment you realize metade de cotovelo é coto.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

television fission

É muito mais provável ter um sabonete em forma de porco que um porco em forma de sabonete.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

prototype

Ter uma exposição sobre "cancro de pele" em Nova Iorque com o título MeLaMoMa.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

witch hunt

a gente pela última vez:'D

Já os Doors, a terceira banda mais sobrevalorizada da história, cantavam sobre o fim. E via-se logo que fim não devia ser coisa boa porque metia incesto. E o incesto não é bom, salvo raras exceções. O meu caso não é exceção pois sendo a minha irmã o camafeu que é - não passa de um 2 - e, diz quem já lá foi e chafurdou à grande, não se mexe quase nada e muito menos faz cu a não ser que tenha metido MD. E não estou a falar de Mendelevium que não é mais que um metal radioativo transurânico, da série dos actinídeos, normalmente sintetizado a partir do bombardeamento do Einsteinium com partículas alfa, que, quando muito, faz o cancro, doença que está muito na moda sendo eu próprio portador de uma cópia derivado à qual não me dão mais de dois meses de vida o que dá muito jeito porque fechamos isto em grande e acabo de cortar o cabelo bem rentinho poupando fortunas no barbeiro aqui da rua que se faz pagar muito mais do que aquilo que vale desculpando-se com aquilo da crise e de que isto não está fácil para ninguém. Por outro lado, o fim também pode ser bom quando o é daqueles familiares que têm muito ‘nheirinho e o deixam à gente para a gente poder ir gastá-lo nas férias na Quarteira e em carros com teto de abrir e almoços em Mafra. Prazeres que, por certo, já não terei, em consequência do parágrafo anterior. Depois há aqueles fins que um gajo acha que são bons mas depois vai-se a ver e não passam de um embuste assim ao nível do 11 de setembro e do Holocausto que não são mais que invenções dos judeus para subir a cotação do ouro porque são gente que vive em função do ouro e da autocomiseração. Esses fins são tudo o que Hollywood nos tenta vender das pessoas que conseguem sempre ficar com a miúda que, amiúde, é boa e parece que vão ser felizes para sempre. Não serão. As mulheres acomodam-se. Deixam de cortar as unhas dos pés onde crescem fungos e cogumelos (que devem ser comidos em sopa, salteados ou em salada, segundo o Astérix) e onde muitas vezes se pode fazer um presépio ou pintar meio Guernica. A depilação é esquecida e é como ir para a cama com as axilas da Rosa Mota. Os pintelhos, outrora inexistentes, florescem qual jardim ao abandono devido a questiúnculas intrafamiliares. Comem bolachas na cama espalhando migalhas que ali ficarão para sempre esmagadas por cotovelos que imprimem permanentes nódoas de gordura lembrando aquele pintor que fez de Ed Harris mas que tinha o talento somado dos UHF. O fim que nos vendem é sempre uma farsa e daqui não sobrará mais que as memórias destas profundas reflexões compreendidas por alguns e ao alcance de poucos.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

northern lights

Gostava que o Jerónimo de Sousa comesse o Paulo Portas só para o ouvir dizer "há um comunista dentro de mim".

mansion on the hill

Um dia eu hei-de ser atendido por um chinês da Beira Baixa a quem poderei pedir queijo dizendo: "queijo, amarelo da Beira Baixa!".

quinta-feira, 25 de abril de 2013

enfilade

Era fixe que o Arménio Carlos dissesse que se chamava apenas Carlos e que vinha da Arménia e que tudo tinha sido um mal-entendido.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

hit the plane down

Tenho as unhas dos pés tão grandes que, se fosse àqueles sítios onde as pintam, saía de lá com meio Guernica.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

easy way down

A cura para a solidão pode ser a companhia das sandes.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

o convite

O Nilton é como as impressoras de agulhas. Faz exatamente o mesmo mas sem qualidade nenhuma.

dissolved

O tamanho do objeto que se carrega é proporcional à comichão no nariz.

infamous

O preto não ficava nada bem à Heidi Klum.

take my bones away

A seguir ao almoço dá-me sempre uma moleza. Ainda não consegui foi identificar que almoço.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

alone

Devia haver uma equipa italiana chamada Areeiro e uma vez por época haveria um Roma-Areeiro.

terça-feira, 9 de abril de 2013

that's on me

Lavar a casa toda com um daqueles champôs que dão volume e alugá-la como duplex.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

i get by

Se o Robert Diggs se dedicasse aos laticínios, podia produzir queijo de RZA.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

dangerous minds

O meu umbigo gera tanto cotão que só precisava de alguém com um que gerasse pauzinhos de plástico para entrarmos no negócio das cotonetes.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

soul and sound

a gente:D:D

O meu amigo favorito da escola chamava-se João. Ou Bruno. Ou lá o que era. Morava a caminho de Odivelas, mas não era bem Odivelas, era só a caminho e depois cortava-se por uma estrada em terra, não porque ainda não houvesse alcatrão, mas porque ali eram todos pobres e os construtores de estradas não gostam nada de pobres nem de pato com laranja mal aviado, para umas casas em cimento e tijolo à vista, também por desleixo, e um largo, com umas árvores de folha caduca, que não era um largo que toda a gente sabe que são, no pior dos casos, ovais, mas sim um quadrado que acabava em esquina e ainda tinha um coiso que enrolava por uma fonte mais seca que todos os ovários da casa de repouso de São José e as casas por dentro eram tão pequeninas que as camas eram ao alto e as pessoas tinham de ir dormir em avançados de oleado a não ser que fossem muito pequeninas, enfezadas e subnutridas, como o eram na maioria, e tinha alcatifa daquela que não é colada ao chão porque se via mesmo que não tinham dinheiro para comprar cola daquela de colar alcatifa ao chão e ficava assim com uns altos que uma pessoa tinha mesmo vontade de meter um pé em cima e a bolha de alcatifa apenas ia para outro lado, como fazem as mulheres quando eu as interpelo em geral mas sem a parte do gás pimenta. Era daqueles miúdos com um cheirinho a atraso que ainda não era considerado deficiente mas via-se assim só de olhar ao longe que não estava tudo bem por ali e já se apostava que, mais ano, menos ano, iria chumbar pois nem somar castanhas o pobre diabo era capaz. Uma vez até deu castanhas negativas e ainda hoje alguns de nós somos afligidos por problemas metafísicos profundos derivado a esta situação. O muco acumulava-se-lhe, amiúde, no nariz em forma de bola que escorria depois para cima do queque que comia a meio da manhã porque, apesar de meio deficiente, também era pessoa que sofria de alguma larica. Não sei porque éramos amigos. Provavelemente por sermos os dois refugo. Ele em geral, eu na personalidade e na cara. Um dia, dois de nós queriam entrar na sala e outros dois, o João ou Bruno ou lá o que era, incluído, forçavam a porta do interior. O resultado foi o dedo do João ficar entalado na porta e *nic* foi cortado pela base, caindo direitinho qual casca de amendoim do lado de fora da sala. Por momentos, dois de nós que contassem pelos dedos, contariam até vinte e um. Os outros ficariam-se pelos dezanove. É praticamente a diferença correspondente a ter um dual core em vez dum pentium.

so long, lonesome

Tenho um casaco tão impermeável que uma vez caí ao rio e ele mudou de curso.

the only moment we were alone

A cera dos ouvidos devia ter cores diferentes para um gajo saber que phone vai em que ouvido.

easter

Uma tarde inteira de "The Walking Dead" é como ir ver os avós ao lar.

sábado, 30 de março de 2013

legions

Being a straight vampire, one can always say "I love you, period".

quinta-feira, 28 de março de 2013

flight

Devia haver uma tecla chamada Nilton e um gajo fazia control + Nilton e dava copy/paste.

quarta-feira, 27 de março de 2013

that's who i am

Sócrates na RTP a fazer como na Grécia antiga e a enrabar toda a gente.

mbm

Johnny Cache: um músico country que não era lá muito atualizado.

segunda-feira, 25 de março de 2013

rideinonthestrength

A minha televisão é tão grande que, quando estou a ver a RTP1, vejo um bocadinho da RTP2.

segunda-feira, 18 de março de 2013

another step away

I'm moving to Chicago and find a girl named Wind because the wind is always blowing in Chicago.

domingo, 17 de março de 2013

let me go home whiskey

Se houvesse um outlet para vampiros, devia-se chamar "Outlet the right one in".

sábado, 16 de março de 2013

swingin' party

A Ana Brito e Cunha anda a inovar. A prática comum das atrizes portuguesas é dar um tiro no pé.

quinta-feira, 14 de março de 2013

segunda-feira, 11 de março de 2013

the whistle

Um arco e flecha com problemas porque diziam que o pai era uma besta.

sexta-feira, 1 de março de 2013

opt

a gente:D:D

No topo da lista de perguntas que ninguém faz, está uma que me atormenta desde o ano 2000. Felizmente, o mundo não acabou nessa altura, dando-me tempo (e espaço ou espaço-tempo se se tiver uma visão relativista da cena e eu sou pessoa para ter visões relativistas das cenas em geral e em particular derivado a ser adepto de sopa de cogumelos) para procurar uma resposta adequada, à qual ainda não cheguei, mas a que pretendo continuar a dedicar parte do tempo que me foi concedido por Deus Nosso Senhor nesta caminhada a que chamamos vida. O Brasil teve, em tempos, um jogador de futebol (especifico o desporto para ocupar mais rapidamente os 2500 caracteres a que tenho direito nesta humilde publicação derivado a uma doença que sofro e que em inglês se chama lazyness) chamado Ronaldo. Quando começou, derivado à tenra idade, toda a gente lhe chamava Ronaldinho. Era craque e sofria dos ossos. Depois apareceu outro jogador também chamado Ronaldo. Novamente craque. Alguma coisa teria de ser feita para os distinguir. Apesar de o brasileiro comum também sofrer de lazyness amiúde, rapidamente se chegou a uma solução. O Ronaldinho de antigamente passou a Ronaldo e o Ronaldo mais novo passou a Ronaldinho. Toda a gente sabia quem eram e o assunto ficou por ali. Assim acabou. Eu, no entanto, sou uma pessoa que pensa sempre mais à frente, que gosta de fazer perguntas daquelas que importam e que fazem o mundo andar para a frente e pus logo a hipótese do que que aconteceria se aparecesse mais um Ronaldo. A solução estava à vista de qualquer um. O Ronaldo passaria a Ronaldão, o Ronaldinho a Ronaldo e o recém chegado Ronaldo a Ronaldinho. Como nunca paro, pensei “e se aparece ainda outro Ronaldo?”. Com um número par de Ronaldos, a solução não é óbvia. Pode acontecer uma de duas coisas. O recém chegado Ronaldo passaria a Ronaldinhinho e os outros mantinham-se ou, e até por uma questão de coerência com os casos anteriores, o Ronaldão passaria a Ronaldãodão e todos os outros Ronaldos (e eu sei que os nomes próprios não têm plural mas é só para ajudar ao raciocínio) andavam uma casa para a frente na hierarquia. E eu prefiro a coerência. Com cinco Ronaldos ter-se-ia um Ronaldinhinho, um Ronaldinho, um Ronaldo, um Ronaldão e um Ronaldãodão. Ou então o primeiro seria sempre um Ronaldinho e o último é que passaria Ronaldãodãodão. O problema pode ser extensível a uma quantidade infinita de Ronaldos. As regras teriam de ser muito bem definidas. Até porque os Ronaldos das pontas poderiam deixar de ter espaço na camisola para o nome completo. Ou usar manga comprida, o que, no Brasil, seria uma maçada.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

forest serenade

Fiz uma maionese tão boa que é uma junhonese.

heart of dust

É altura de dizer que o Pistorius não andava lá muito bem.

lazarus

O João Gobern ocupa-me a televisão toda e parte do móvel.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

metz

Havia uma banda chamada Nomeansno. Acabaram quando apareceu a droga da violação.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

sister saviour

Se algum dia precisarem de impressões digitais, é procurar nos meus óculos escuros.

bombs away

Um intervalo entre aulas que demore a passar é uma espécie de furo lento.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

maggot brain

Tenho as unhas tão grandes que consigo contar até 10 e tal.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

separator

Ia um gajo ao meu lado no metro que podia fazer as baínhas das calças com os pêlos do nariz.

native dreams

a gente:D

A maior parte da sabedoria que recolhi enquanto criança e que ainda hoje me guia nesta estrada de um sentido a que chamamos vida e faz de mim a pessoa emocionalmente equilibrada, justa, de gosto requintado e amigo do seu amigo que hoje sou, foi devido às hordas de criadagem, e respetivo conhecimento sobre assuntos, que pululavam pela nossa enorme mansão com piscina e vista para o rio de fazer inveja aos comunistas gulosos por dinheiro alheio que viviam apertados em quartos minúsculos e bafientos e onde o cheiro a chulé era o prato do dia e as áreas de bolor na parede superavam em muito as de tinta barata e cancerígena porque os pobres são muito dados a ter cancro e não se importam com isso desde que haja dinheiro para o vinho e tempo para mandriar. Com a criadagem aprende-se de tudo pois têm vasta experiência de vida na ótica do utilizador. Do utilizador com menos permissões. Como se a vida fosse um sistema operativo e a criadagem pouco mais conseguisse que copiar ficheiros e pastas.Têm experiência com pobres e doenças de pele e bactérias e cheiros de partes do corpo que um gajo nem sabe que existem. Quem esfrega restos de mijo ressequido numa pasta amarelada de dias das dobras do tampo da sanita, quem retira o bolor entranhado entre os azulejos creme das casas de banho da classe média-alta com cotonetes aveludadas, quem conta histórias de como o tempo agora está assim “por causa das coisas que eles mandam lá para cima” (ah!, a entidade “eles” omnipresente na cultura popular) tem certamente explicação quase tudo. Certamente para a história do bife. A história do bife ocorreu quando eu tinha uns seis anos e estava na praia do Rei. A praia do Rei era só gajas nuas (hoje é só paneleiros com a almôndega pendurada que até dá vontade de um gajo ir ao bar comprar qualquer coisa para comer só para ter o que vomitar). E gajas nuas foi daquelas coisas de que sempre gostei. Apesar de, todo o meu fascínio back in the days, ser totalmente incompreensível. Uma das raparigas que por lá andava, uns anos mais velha que eu, tinha um bife a sair da cona. Aquilo intrigou-me. Bifes para mim era no talho, não na cona. Andava eu a ser enganado? Perguntei à criadagem que, certamente, saberia o que poderia ser aquele naco de carne que espreitava e dizia adeus na minha direção. “É a tripa”, disseram. Segundo parece, quando se faz demasiada força, a tripa pode sair pela cona. Até faz sentido. Porque um gajo bem que podia passar o resto da vida a tentar ir lá com um dedo e meter a tripa para dentro.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

people who died

Estive em formação depois do almoço. A Terra foi há 4.6 mil milhões de anos.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

23 minutes in brussels

Scientists can store 700 terabytes into a single gram of DNA.
Porn everywhere!

the walls came down

Os comediantes dividem-se em dois tipos. Os que o Nilton já copiou.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

for v

Há coisas que conheço como a palma da mão. A minha vida sexual, por exemplo.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

no x

Se "cardoso" fosse um adjetivo, poder-se-ia dizer que o Miguel esteve cardoso.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

king

Era tão mau em html que no BI tinha table em vez de div.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

engine homes

Acho que vou ao Finalmente e só depois confiro as novas tabelas de IRS porque parece que é lá que um gajo vai antes de ser enrabado.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

come back baby

Se eu fosse pintor, teria um quadro bem mau chamado "clínico" no qual estaria sempre a trabalhar para as pessoas dizerem que "o (meu) quadro clínico parece estar a evoluir favoravelmente".

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

good for my soul

Coerência era os filmes antes acabarem com medicamentos de marca e agora com genéricos.

white

A jantar num indiano que se diz tão típico mas que não tem gang rape.

domingo, 13 de janeiro de 2013

am

As escalas e as constipações passam todas por si.

sábado, 12 de janeiro de 2013

dw

O Dog Whisperer devia ser nomeado para os óscares da vida.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

better off alone

O que ainda ninguém descobriu foi urânio da classe média.

sábado, 5 de janeiro de 2013

adl

A Delta Q era para se ter chamado Delta Frrstpppffsdrt.

bingo

O imposto favorito do Descartes era o imposto de sê-lo.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

there goes the fear

a gente:D

O livro que mais marcou a minha infância chamava-se (momento humor de pastelaria: mas já não chama?) “Nós e os outros”. Nunca o li. Mas a lombada era das mais compostas da estante lá de casa, tinha letras em Arial Narrow Bold, uma escolha ousada para fonte, uma vez que, ao contrário da maioria, é paga e dá logo a certeza que se está diante de um escritor de outra estirpe, e impunha respeito como poucas, derivado também à largura de quase um polegar para além da dobra. Quem come gajas de quatro - check! - está familiarizado com esta medida que é a parte do polegar que um gajo lhes mete no cu até ao nó com a desculpa que dá mais jeito para segurar mas a verdade é que é um medidor de segurança de fazer cu, dependendo de a unha vir castanha. Aquelas quatro palavras, no seu conjunto, já faziam sentido no meu cérebro ainda reduzido e que assim permaneceu, não devido a doença mas a falta de estímulo porque nós morávamos nos arredores onde não havia televisão por satélite nem se conseguia comprar revistas das que traziam a programação e os mexericos - itens essenciais no desenvolvimento de qualquer cérebro saudável e que ambiciona um tamanho comparável aos demais. Dizia-me, do cimo da quarta prateleira onde eu ainda só chegava com um banco dos antigos - que os novos era para comermos à mesa da cozinha - que as pessoas não eram todas iguais. Fiquei sem saber, e continuarei assim por opção porque ler é o maior aborrecimento e toda a gente sabe que quem lê são as gajas e os paneleiros, se não passava de propaganda comunista ou se, como julgo, nos mostrava, por A + B, que há pessoas que valem mais que as outras porque têm mais dinheiro, personalidade e carros de alta cilindrada. É por esta mensagem implícita no nome que desde cedo defendo os atestados de procriação e de voto. Devia haver uns testes escritos e de medição do crânio, do tamanho do maxilar inferior, da distância entre os olhos e de unicelha que as pessoas faziam e que, mediante o resultado, lhes dava o direito a procriar, votar, morar no centro, entre outros direitos ou deveres que deviam ser apenas de uma minoria qualificada para tal. Estes testes (ainda) não existem. Mas são apenas uma questão de tempo até que as pessoas se apercebam que são essenciais para manter uma sociedade funcional e adequada segundo os padrões que nos podem preparar para um futuro ainda mais radioso.